(299)
Jurídico
Apresentação
Membros do Comitê
» Notícias Jurídicas
 
Você está em:

Comitês

STJ amplia interposição de agravo de instrumento para além do rol do 1.015 06/12/2018 13:24:52

Por sete votos a cinco, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça decidiu, nesta quarta-feira (5/12), que o rol do artigo 1.015 do Código de Processo Civil de 2015 tem taxatividade mitigada e admite a interposição de agravo de instrumento quando verificada urgência. O julgamento foi retomado nesta quarta-feira com voto-vista do ministro João Otávio de Noronha.

 

Os ministros precisavam decidir se ampliavam ou não o rol de possibilidades para interposição de agravo de instrumento para além das 12 situações citadas no artigo 1.015. Após o julgamento, ficou definido que são admitidas outras hipóteses que não estão enumeradas no artigo.

 

Venceu a proposta apresentada pela relatora, ministra Nancy Andrighi, que,  na primeira sessão, no dia 19 de setembro, afirmou que rol do 1.015 é de taxatividade mitigada, cabendo agravo de instrumento quando há urgência decorrente da inutilidade do julgamento da questão no recurso de apelação.

 

"A tese que se propõe consiste em, a partir de um requisito objetivo, a urgência que decorre da inutilidade futura do julgamento do recurso diferido da apelação, possibilitar a recorribilidade imediata de decisões interlocutórias fora da lista do artigo 1.015 do CPC, sempre em caráter excepcional e desde que preenchido o requisito urgência, independentemente do uso da interpretação extensiva ou analógica dos incisos do artigo", votou a ministra.

 

A tese da relatora foi que “o rol do artigo 1.015 do CPC é de taxatividade mitigada, por isso admite a interposição de agravo de instrumento quando verificada a urgência decorrente da inutilidade do julgamento da questão no recurso de apelação”.

 

A ministra relatora foi seguida pelos ministros Napoleão Maia Nunes, Jorge Mussi, Luiz Felipe Salomão, Felix Fischer, Benedito Gonçalves e Raul Araujo.

 

Divergência Vencida

 

Na sessão do dia 3 de outubro, a divergência foi aberta pela ministra Maria Thereza de Assis Moura, para quem a taxatividade do rol do artigo 1.015 deveria ser mantida. Para ela, foi uma opção do legislador restringir as hipóteses de cabimento do agravo de instrumento. Por isso, não estaria na alçada do STJ expandir esse leque de opções.

 

Na ocasião, a ministra argumentou que a tese da taxatividade mitigada “poderá causar efeito perverso”, fazendo com que os advogados tenham que interpor sempre agravo de instrumento contra todas as interlocutórias, agora sim sob pena de preclusão.

 

O entendimento da ministra Maria Thereza foi acompanhado pelos ministros João Otávio de Noronha, Humberto Martins, Og Fernandes e Mauro Campbell Marques.

 

REsp 1.696.396

 

REsp 1.704.520

 

Gabriela Coelho – Repórter da revista Consultor Jurídico

 

Fonte: Revista Consultor Jurídico – 05/12/2018.




Clipping Portal ABRAS


 

Últimas

» Governo divulga regras para a declaração do Imposto de Renda 2019 22 de Fevereiro 2019, 11h59
» Ministro prorroga prazo para edição de norma sobre compensações da Lei Kandir 22 de Fevereiro 2019, 11h57
» Agricultura prepara medida provisória que muda inspeção sanitária 22 de Fevereiro 2019, 11h56
» Usina é condenada a devolver contribuição confederativa, mas obtém isenção de pagamento de horas in itinere 22 de Fevereiro 2019, 11h55
» Inteligência artificial já manda soltar e prender, mas não fica só nisso 22 de Fevereiro 2019, 11h54
» Abras/Superhiper premia marcas líderes de vendas e lançamento do ano 21 de Fevereiro 2019, 12h43
» Receita Federal declara inaptidão de mais de 3 milhões de CNPJ 21 de Fevereiro 2019, 12h10
» Reforma da Previdência: veja os principais pontos 21 de Fevereiro 2019, 12h09
» Câmara conclui votação sobre cadastro positivo; projeto vai ao Senado 21 de Fevereiro 2019, 12h03
» Decisão interlocutória sobre prescrição ou decadência deve ser impugnada por agravo de instrumento 21 de Fevereiro 2019, 12h02

Ver mais »