(299)
Jurídico
Apresentação
Membros do Comitê
» Notícias Jurídicas
 
Você está em:

Comitês

STJ amplia interposição de agravo de instrumento para além do rol do 1.015 06/12/2018 13:24:52

Por sete votos a cinco, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça decidiu, nesta quarta-feira (5/12), que o rol do artigo 1.015 do Código de Processo Civil de 2015 tem taxatividade mitigada e admite a interposição de agravo de instrumento quando verificada urgência. O julgamento foi retomado nesta quarta-feira com voto-vista do ministro João Otávio de Noronha.

 

Os ministros precisavam decidir se ampliavam ou não o rol de possibilidades para interposição de agravo de instrumento para além das 12 situações citadas no artigo 1.015. Após o julgamento, ficou definido que são admitidas outras hipóteses que não estão enumeradas no artigo.

 

Venceu a proposta apresentada pela relatora, ministra Nancy Andrighi, que,  na primeira sessão, no dia 19 de setembro, afirmou que rol do 1.015 é de taxatividade mitigada, cabendo agravo de instrumento quando há urgência decorrente da inutilidade do julgamento da questão no recurso de apelação.

 

"A tese que se propõe consiste em, a partir de um requisito objetivo, a urgência que decorre da inutilidade futura do julgamento do recurso diferido da apelação, possibilitar a recorribilidade imediata de decisões interlocutórias fora da lista do artigo 1.015 do CPC, sempre em caráter excepcional e desde que preenchido o requisito urgência, independentemente do uso da interpretação extensiva ou analógica dos incisos do artigo", votou a ministra.

 

A tese da relatora foi que “o rol do artigo 1.015 do CPC é de taxatividade mitigada, por isso admite a interposição de agravo de instrumento quando verificada a urgência decorrente da inutilidade do julgamento da questão no recurso de apelação”.

 

A ministra relatora foi seguida pelos ministros Napoleão Maia Nunes, Jorge Mussi, Luiz Felipe Salomão, Felix Fischer, Benedito Gonçalves e Raul Araujo.

 

Divergência Vencida

 

Na sessão do dia 3 de outubro, a divergência foi aberta pela ministra Maria Thereza de Assis Moura, para quem a taxatividade do rol do artigo 1.015 deveria ser mantida. Para ela, foi uma opção do legislador restringir as hipóteses de cabimento do agravo de instrumento. Por isso, não estaria na alçada do STJ expandir esse leque de opções.

 

Na ocasião, a ministra argumentou que a tese da taxatividade mitigada “poderá causar efeito perverso”, fazendo com que os advogados tenham que interpor sempre agravo de instrumento contra todas as interlocutórias, agora sim sob pena de preclusão.

 

O entendimento da ministra Maria Thereza foi acompanhado pelos ministros João Otávio de Noronha, Humberto Martins, Og Fernandes e Mauro Campbell Marques.

 

REsp 1.696.396

 

REsp 1.704.520

 

Gabriela Coelho – Repórter da revista Consultor Jurídico

 

Fonte: Revista Consultor Jurídico – 05/12/2018.




Clipping Portal ABRAS


 

Últimas

» Supermercadistas projetam vendas estáveis para o verão 2019 07 de Dezembro 2018, 14h26
» Liminar suspende aplicação de multas em razão do tabelamento de fretes 07 de Dezembro 2018, 12h54
» Tabela de Incidência do IPI é atualizada 07 de Dezembro 2018, 12h53
» Cade investigará praticas anticompetitivas no mercado financeiro e de meios de pagamento 07 de Dezembro 2018, 12h51
» Estudo propõe criar política para combater desperdício de alimentos 07 de Dezembro 2018, 12h50
» Câmara aprova alterações em projeto sobre desistência da compra de imóvel 07 de Dezembro 2018, 12h48
» Condenação genérica em ação coletiva deve prever reparação sem especificar danos sofridos pelas vítimas 07 de Dezembro 2018, 12h46
» Projetos terão mesmo número na Câmara e no Senado 07 de Dezembro 2018, 12h44
» Diário Eletrônico da Ordem dos Advogados do Brasil entra em funcionamento dia 31 07 de Dezembro 2018, 12h43
» Nova sistemática de atendimento a usuários do PJE terá início em Janeiro de 2019 no TRT-2 07 de Dezembro 2018, 12h42

Ver mais »