Notícias do setor
Economia
Jurídico
Tecnologia
Marketing
Bebidas
Carnes / Peixes
Notícias Abras
Geral
Redes de Supermercados
Sustentabilidade
 
Você está em:
  • Notícias do setor »
  • Bebidas

Notícias do setor - Clipping dos principais jornais e revistas do Brasil

RSS Bebidas

09/10/2015 12:27 - Demanda menor por refrigerantes amplia concorrência em sucos e chás

Bebida, que antes dominava o segmento de não alcoólicos, perde cada vez mais espaço para as alternativas consideradas mais saudáveis. Produção teve queda de 5,956% de janeiro a setembro

 

A queda na demanda por refrigerantes tem levado a uma mudança na concorrência do mercado de bebidas não alcoólicas. Agora, as fabricantes de sucos, bebidas funcionais, chás e águas de coco brigam entre si para ampliar sua presença no mercado brasileiro.

 

"Cada vez mais a briga pela liderança no mercado de soft drinks deixará de ser apenas no âmbito dos refrigerantes e será extrapolada para outras categorias tais como a água flavorizada, sucos, chás prontos para beber, energéticos e outros", afirma a analista da consultoria Euromonitor International, Angélica Salado.

 

Ela destaca que hoje muitas categorias têm, gradualmente, tomado o lugar dos refrigerantes. A diferença, segundo Angélica, é que nas novas categorias o mercado é muito segmentado, o que tem forçado as empresas a investirem em novos produtos. "Esta é a principal movimentação que podemos esperar nos próximos anos."

 

Já o gerente de atendimento e negócios da consultoria Kantar Worldpanel, Guilherme Scalco, destaca que a perspectiva para as categorias de refrigerante light e diet é de retração ainda mais intensa nos próximos anos. "Esses produtos se encontram em uma espécie de limbo, pois não são tão saudáveis e nem tão indulgentes para o consumidor como o refrigerante regular", revela.

 

Ele cita água de coco e suco pronto para beber como produtos que têm avançado sobre a demanda de refrigerantes. "Tais categorias ainda são muito pequenas, mas roubam volume e as grandes empresas do setor têm percebido essa mudança e estão investindo em alternativas", observa.

 

A Coca-Cola, líder em refrigerantes e dona da marca de sucos Del Valle, por exemplo, anunciou recentemente a compra de uma parte da fabricante norte-americana de sucos orgânicos, Suja Life.

 

Retração

 

Para o presidente da Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil (Afrebras), Fernando Rodrigues de Bairros, o movimento de ampliação do portfólio, embora seja uma tendência, não será suficiente para evitar a retração nas vendas neste ano. "As empresas tem passado por um processo de diversificação, mas as vendas continuam caindo", diz.

 

De janeiro a setembro, a produção de refrigerantes no País atingiu 10,588 bilhões de litros, volume 5,95% menor ante 2014, de acordo com dados do Sistema de Controle de Produção de Bebidas (Sicobe), da Receita Federal.

 

A Bioleve, com fábrica em Lindóia (SP), tem investido em novos produtos como alternativa para continuar crescendo e fazer frente às grandes concorrentes do setor.

 

"A queda no consumo de refrigerante pode nos ajudar, já que abre espaço para as nossas outras linhas de produto", avalia o diretor da empresa, Sylvio Parente. Ele conta que a linha de água mineral representa 70% das encomendas da Bioleve, seguida por sucos. "Temos também novos produtos com apelo saudável, que têm colágeno e ômega 3", lembra ele.

 

Segundo o executivo, a demanda por esses produtos cresce exponencialmente, mas a receita nessas linhas ainda é pouco significativa.

 

Parente reconhece que a desaceleração da economia tem impactado os negócios da empresa. O crescimento de 25% a 30% em faturamento previsto para 2015 foi revisado para alta entre 10% e 15%, em linha com a inflação acumulada no ano, que já está em 7,64%, com base no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

 

"Mesmo que o momento atual seja mais desafiador que anos anteriores, continuaremos investindo para ganhar espaço nas novas categorias."

 

Parente lembra que, depois da linha de água mineral, um dos principais produtos da empresa é o Bioleve Zero, concorrente direto da marca H2O da PepsiCo.

 

Movimentação

 

Angélica, da Euromonitor, observa que a a PepsiCo tem adotado uma estratégia mais dinâmica e menos reativa em relação ao mercado brasileiro. "Eles estão apostando um pouco mais na inovação e em nichos de mercado. Ao invés de focar apenas no segmento de carbonatados. A PepsiCo tem expandido seu portfólio em outras categorias, como é o caso do lançamento da linha de águas saborizadas Hello by H2OH e do sistema de bebidas em cápsulas Drinkfinity", cita.

 

O último relatório financeiro divulgado pela Ambev, que detém uma parceria com a PepsiCo para produção e distribuição de alguns itens do portfólio de bebidas da marca global, confirma a retração na venda de refrigerantes.

 

"Tivemos participação recorde de 19,6% no [segundo] trimestre, com um bom desempenho de Pepsi, Guaraná Antarctica e Guaraná Antarctica Black no primeiro semestre do ano. Entretanto, o volume da indústria caiu", cita a companhia no relatório.

 

 

Veículo: Jornal DCI

 

 

Enviar para um amigo
Envie para um amigo
[x]
Seu nome:
E-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Comentário
 

 

Veja mais >>>

14/06/2019 11:19 - Como está o mercado cervejeiro no Brasil?
11/06/2019 12:16 - Garrafa de cerveja retornável volta a ganhar espaço no mercado Brasileiro
30/05/2019 11:58 - Ministério da Agricultura registra produtores de cachaça e aguardente
21/05/2019 11:30 - Clube de vinhos mira o varejo para crescer 15%
06/05/2019 10:54 - Cerveja puro malte cresce 81% em volume de consumo no Brasil
14/03/2019 11:22 - Por que bebemos tão pouco vinho?
08/03/2019 14:31 - Consumo de refrigerantes só deve apresentar recuperação em 2020
07/03/2019 14:12 - Venda de cerveja no Carnaval tem crescimento de até 20% no setor informal
26/02/2019 11:34 - Produção de suco de laranja do Brasil deve cair 27,5% em 2018/19, diz CitrusBR
12/02/2019 11:40 - Transformação no mercado de vinhos leva a um avanço do consumo no País

Veja mais >>>